Buscar
  • Entrelingo Blog

Minha experiência: validando meu título de engenheira na Austrália sem consultor externo – Parte I


Como muitos de meus irmãos latinos, a ideia de validar meu diploma como Engenheira Industrial na Austrália nasceu do sonho de solicitar um visto Skilled (visto de habilidades). Na época em que apresentei o Skill Assessment (avaliação de habilidades) por meio da Engineers Australia, eu morava em meu país de origem e tinha aproximadamente 5 anos de experiência profissional.

Para ser sincera, o processo pareceu, a princípio, extremamente confuso e difícil, porém me atrevi a fazê-lo sozinha. Fiz isso sem pagar um agente de imigração ou um consultor externo para me orientar, mas tive a ajuda de muitas pessoas, especialmente de uma comunidade muito amigável e prestativa do Facebook: Latin Engineers Australia. Muitos colegas me ajudaram, respondendo a dúvidas específicas que eu tinha e me dando um guia geral do processo.

Processo inicial

Comecei escolhendo o Pathway (caminho) de solicitação. Atualmente, mudaram o gráfico e está super fácil de entende-lo, mas naquela época não era, tanto que escolhi o pathway errado, subi e paguei uma solicitação pela via também errada! O que eu fiz então? Entrei em contato com a Engineers Australia por telefone e expliquei meu caso. Eles foram muito atenciosos e recomendaram que eu criasse uma nova solicitação para o qual eles transfeririam os recursos já pagos.

Quais documentos apresentei?

Apresentei os documentos detalhados em Migration Skills Assessment Booklet (Livreto de Avaliação de Habilidades de Migração) na época, que incluem: fotografia, cópia do passaporte, cópia do meu título profissional e carteira profissional, histórico escolar e currículo (com nome da empresa, localização, datas, duração e cargo).

Além disso, tive que apresentar o comprovante de emprego, que incluía constância laboral de meus empregadores. Os referidos comprovantes devem seguir parâmetros específicos detalhados no Booklet. A Engineers Australia exige um mínimo de 6 IELTS em cada faixa. O 6 em cada uma das faixas não é obrigado a estar na mesma prova, pois é válido apresentar vários exames feitos em um curto espaço de tempo. Eu acertei 6 na minha primeira tentativa, e essa foi a pontuação com que eu solicitei.

Documentos de minha autoria que apresentei:

- Um CPD ou Continuing Professional Development (desenvolvimento profissional contínuo): detalhando minha educação formal (graduação, pós-graduação, especialização); minha educação informal (cursos ou certificações); conferências, seminários e outros eventos de crescimento profissional; projetos e artigos criados; e, por fim, atividades voluntárias realizadas.

- 3 career episodes (episódios profissionais): onde demonstrava as 16 competências de um profissional de engenharia (não é necessário que cada episódio contenha todas as competências). As instruções e recomendações para esses ensaios estão publicadas na segunda parte deste texto.

- Um Summay Statement (declaração resumida), que é basicamente um compêndio onde demonstrei os conhecimentos, as competências, os atributos e as habilidades da minha profissão que coloquei em prática nas experiências associadas aos episódios.

Deve incluir uma cópia do original de todos os documentos comprovativos. Caso não estivessem em inglês, deveria apresentar a tradução feita por um tradutor oficial, acompanhada de sua identidade, nome e dados para contato. Naquela época, tive que consultar vários tradutores do meu país para encontrar um bom preço, já que eu tinha muitos documentos para traduzir. Hoje, existe uma alternativa melhor para solicitar traduções profissionais a preços competitivos: entrelingo.com. Se você tivesse contado com o Entrelingo naquela época, definitivamente não teria perdido tempo esperando por orçamentos entediantes.

O que aconteceu depois?

Quando eu tinha toda a minha documentação pronta, traduzida e digitalizada, anexei online em minha solicitação. Após 15 dias, eles me contataram por e-mail solicitando informações adicionais, que foram detalhadas em meu perfil de conta na Engineers Australia. Eles estavam me pedindo comprovantes adicionais para validar minha experiência de trabalho. Esses comprovantes tiveram de ser emitidos por terceiros, como o meu certificado de seguro social. Assim que reuni esta documentação, anexei-a em minha solicitação.

Após 20 dias aproximadamente, eles me pediram informações adicionais. Quais informações eles solicitaram? Mais comprovantes que validassem a minha experiência profissional. Além disso, fui obrigada a substituir um teste, argumentando que não tinha relação com as habilidades de um engenheiro industrial na Austrália. Eles também me pediram para esclarecer em um dos testes como cheguei aos cálculos e às conclusões de um projeto que havia liderado.

Dica: é muito importante que eles façam os testes o mais técnico possível, incluindo figuras e cálculos. Pessoalmente, acho que isso aconteceu porque minha experiência de trabalho foi com 3 empregadores diferentes, mas empresas contratantes, e foram essas que emitiram minhas certificações. Acho que isso ficou um pouco confuso para eles.

O pesadelo

Meses se passaram e não recebi resposta da entidade. Eu havia pago pela opção fast track para receber minha Assessment em 2 ou 3 semanas, mas já estava esperando o resultado final há mais de um mês. Quando liguei, eles me disseram que iriam verificar e entrar em contato comigo, mas infelizmente não o fizeram.

Até que um dia (após 3 meses do envio das informações adicionais), eles entraram em contato comigo para solicitar mais documentação de comprovação. Nessa ocasião, pediram para eu enviar a cópia e a tradução dos contratos de trabalho de duas experiências profissionais. Disseram-me que, se eu não mandasse uma cópia, não validariam minha experiência nesses dois períodos. Obter a cópia dos contratos de trabalho das empresas em que trabalhei durante vários anos não foi fácil. Então isso me levou um tempo. Quando finalmente consegui, carreguei os documentos em minha solicitação.

O resultado

Depois de um ano criando minha solicitação na Engineers Australia, eu ainda estava esperando por uma resposta. Após várias tentativas de contato por e-mail e telefone, um novo Skill Assessor (assessor de habilidade) me respondeu, comentando que meu processo havia sido transferido para ele, uma vez que o assessor responsável não estava mais disponível.

Um mês depois, após vários e-mails de acompanhamento, o novo avaliador finalmente me enviou minha official assessment outcome letter (que é, basicamente, a carta que certifica você como engenheiro na Austrália). Literalmente, me senti como se tivesse acabado de me formar em engenharia novamente! Foi um dia muito feliz para mim e para minha família, que me viu sofrer durante um ano e três meses para obter a minha validação.

Consideração final

Meu processo não foi nada fácil. Mas sei que muitos outros engenheiros tiveram mais sorte. Se você quiser alguma ajuda ou conselho a esse respeito, não hesite em escrever para mim (abaixo está o meu perfil no Facebook). Estou muito feliz por poder ajudar outras pessoas a realizar seus sonhos. Sabe qual foi a melhor coisa que me aconteceu naquela época? Quando eu perguntava para os outros engenheiros que haviam me ajudado sobre como devolver o tempo e esforço que eles usaram para me ajudar, eles me disseram para fazer o mesmo por outra pessoa. Como é bonito quando as boas ações são contagiosas!


Mafe G. | Directora de Operaciones y Servicio al Cliente | Entrelingo

#SkillAssesment #NAATI #tradução #TraduçõesNAATI #traduçõesjuramentadas

545 vistas
TRABAJA CON NOSOTROS

Si eres un traductor oficial envíanos tu resume a traductores@entrelingo.com

AYUDA
ENTÉRATE DE NOVEDADES Y PROMOCIONES
  • Facebook - Grey Circle
WhatsApp-Logo.png
ENTRELINGO 
Hobart, TAS Australia (GMT +10)
ordenes@entrelingo.com | +61 416 173 788
0